Sexta, 20 de Abril de 2018
Email: redacao.piauiagora@gmail.com
Whatsapp: (86) 99829-2020 - Anuncie

Solidariedade

Menina com raquitismo precisa de doações para reformar casa

Maria Vitoria Mendes teve seu sistema respiratório afetado por complicações do raquitismo.

Publicada em 10 de Janeiro de 2018 às 17h27

Publicado por: Marcia Gabriele  |  Fonte: Márcia Gabriele Imprimir

Foto: Arquivo Pessoal

Maria Vitória Mendes, de apenas 4 anos Maria Vitória Mendes, de apenas 4 anos

Notícia Atualizada em 11/01/2018 às 09h25

Maria Vitória Mendes, de apenas 4 anos, foi diagnosticada com raquitismo hipofosfatêmico, doença que atinge ossos impossibilitando o desenvolvimento, está precisando de doações para ter a casa reformada e adaptada para recebê-la. A menina está internada há 1 ano e 9 meses no Hospital Infantil Lucídio Portela, tratando de complicações da doença.

A família vive em uma casa de taipa, na zona rural da cidade de Miguel Alves, estrutura inadequada para a criança, que tem sérios problemas no sistema respiratório por conta da doença.

Segundo Maria Luana Soares Mendes, mãe de Maria Vitória, a família iniciou uma campanha para arrecadar fundos para reformar a casa e estruturar, principalmente o quarto da menina.

‘Maria Vitória, para sobreviver, precisa de um ambiente adequado e a casa de barro tem muita poeira e não possibilita a instalação dos equipamentos que ela precisa. Ela tem usado um aparelho chamado CPAP, doado pela Prefeitura de Miguel Alves, que ajuda minha filha a respirar’, explicou a mãe.

As doações são para construir a casa com paredes de tijolos, reboco, piso, forro em PVC e um quarto com ar-condicionado.

Para quem puder contribuir com algum material de construção ou dinheiro, deve entrar em contato com a mãe de Vitória pelo número (86) 99867-2456 ou ainda depositar valores na Conta Poupança da Caixa Econômica: Conta: 61875-0, Agência 1607, Operação 013, em nome de Maria Luana Soares Mendes.
Comente através do Facebook
Matérias Relacionadas
Divaldo Franco recebe título Honoris Causa nesta sexta