Terça, 23 de Janeiro de 2018
Email: redacao.piauiagora@gmail.com
Whatsapp: (86) 99829-2020 - Anuncie

canabidiol

Piauí dará início a pesquisa de substância encontrada na maconha

O canabidiol não produz euforia nem intoxicação, por isso não é considerada perigosa para a saúde humana.

Publicada em 05 de Janeiro de 2018 às 10h39

Publicado por: Daniely Viana  |  Fonte: Com informações Uespi Imprimir

Foto: Ascom

Um grupo de pesquisadores da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) está prestes a iniciar os trabalhos de pesquisa do canabidiol, substância química encontrada na planta popularmente conhecida como Maconha. O Piauí é o primeiro estado do país a autorizar a viabilização do projeto, que deverá criar um medicamento para o tratamento de epilepsia refratária.

O canabidiol (CBD) é uma das 113 substâncias químicas encontradas na maconha. Diferente do principal canabinoide psicoativo na droga, o canabidiol não produz euforia, dependência, nem intoxicação, por isso não é considerada perigosa para a saúde humana.

O grupo de pesquisadores responsáveis já estuda a substância há algum tempo, mas com a recente autorização do governador Wellington Dias para a produção do óleo que será extraído da planta, também foram criados projetos a serem executados pela Uespi e também pela Universidade Federal do Piauí (UFPI).

Segundo um dos pesquisadores envolvidos no projeto, professor Fabrício Amaral, o medicamento beneficiará pacientes que sofrem com várias crises convulsivas, como 30 a 40 por dia.

As universidades fabricarão o medicamento em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (Fapepi), Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) e o Centro Integrado de Reabilitação (Ceir), que ficará responsável pelo atendimento aos pacientes que necessitam do medicamento e também por fazer uma triagem e escolha dos mesmos.
 
Comente através do Facebook
Matérias Relacionadas
Mutirão de cirurgia do HGV beneficia 30 pacientes