Portal de Notícias
- Publicidade -

- Publicidade -

Wellington Dias propõe pacto de combate à fome e à desigualdade entre países da AL

Na Conferência Regional sobre Desenvolvimento Social da América Latina e Caribe, realizada em Santiago, no Chile, Dias destacou avanços sociais no Brasil desde janeiro, como o retorno do Bolsa Família

O ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, Wellington Dias, propôs nesta terça-feira (3.10), durante participação na Conferência Regional sobre Desenvolvimento Social da América Latina e Caribe, realizada em Santiago, no Chile, um pacto entre os países da região para um trabalho conjunto de combate à fome e à desigualdade na região.

Wellington Dias reforçou a importância da cooperação internacional e da necessidade de uns aprenderem com os outros para avançar nos desafios do desenvolvimento social. “Não precisamos reinventar a roda”, defendeu Dias. “Podemos todos aprender melhor uns com os outros e unir esforços se quisermos, por exemplo, avançar na implementação plena das propostas de fortalecimento da institucionalidade social apresentadas pela Cepal”.

“Este foro é um âmbito importante para promover este diálogo, mas instituições nacionais e internacionais com conhecimento prático precisam receber apoio para levarem esse conhecimento a outros países”, destacou o ministro.

Confira a íntegra do discurso do ministro Wellington Dias aqui

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva lançou, na última cúpula do G20, em Nova Delhi, na Índia, a proposta de articular, durante a presidência brasileira do G20, uma aliança global contra a fome e a pobreza. O ministro Wellington Dias pontuou que o Brasil assume a presidência do G20 em dezembro, e o MDS será responsável pela construção desta agenda internacional.

- Publicidade -

- Publicidade -

“Quero assegurar a vocês que essa aliança, uma vez lançada, não será apenas do G20, será para todo país que quiser assumir o compromisso de implementar ou reforçar programas sociais com eficácia comprovada no combate à fome e à pobreza”, garantiu o titular do MDS, que submeteu a candidatura do Brasil para assumir a presidência da próxima Conferência da Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal) e realizar o próximo encontro no país.

Desenvolvimento econômico

Durante a conferência no Chile, o ministro Wellington Dias defendeu ainda uma nova frente de trabalho para o combate às desigualdades. Ele argumentou que embora a assistência social e a transferência de renda sejam fundamentais para a erradicação da pobreza e para garantir a dignidade e os direitos humanos, o crescimento econômico e as oportunidades de emprego e empreendedorismo também são essenciais para a segurança social.

“Nosso objetivo é a redução da pobreza, ano a ano, e devemos reforçar nossas iniciativas de inclusão socioeconômica, com formação profissional, intermediação laboral das famílias beneficiárias de programas sociais e com a formação e apoio ao empreendedorismo. Proponho que estudemos formas de reforçar essa área de atividade em nossa cooperação, com apoio da Cepal, do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), da OIT (Organização Internacional do Trabalho) e outros órgãos”, defendeu.

O ministro aproveitou o encontro para destacar os avanços sociais no Brasil desde janeiro, como o retorno do Bolsa Família e as 19,7 milhões de famílias beneficiárias, 92% da base do programa, protegidas da pobreza.

Javiera Toro Cáceres

Para a ministra do Desenvolvimento Social e Família do Chile, Javiera Toro Cáceres, anfitriã do evento, a reunião é importante para a troca de experiências e para estimular a luta pelos desafios conjuntos. “É cada vez mais desafiador garantir a proteção social. Estamos trabalhando em construir um sistema nacional de cuidados, centrado nas pessoas que mais necessitam. Com isso, estamos implantando um sistema de garantia de direitos. Queremos, assim, assegurar que todos tenham suas necessidades atendidas e seus direitos protegidos”, declarou.

A Conferência Regional sobre Desenvolvimento Social da América Latina e Caribe é realizada pela Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal), entidade ligada à Organização das Nações Unidas (ONU). Ela está em sua quinta edição e tem como objetivo fortalecer as instituições e entes públicos para a implementação efetiva de políticas públicas de qualidade na área do desenvolvimento social.

Veja também